Superação sobre duas rodas, Ibitipoca Trip Trail foi puro MTB de raiz

O Ibitipoca Trip Trail 2015 acabou, mas os belos cenários de Ibitipoca, e as altas dificuldades das rotas que desafiaram os ciclistas ainda estão dando o que falar. Trechos técnicos, visuais exuberantes, single tracks, subidas íngremes, descidas alucinantes e muito downhill fizeram parte do percurso, transformando os competidores em campeões por aceitarem esse desafio.




Ao conversar com os competidores, é unânime a opinião sobre a alta exigência técnica dos trajetos, que exigiram controle mental, físico, aventura, garra e, sobretudo, superação. “Multiplica uma prova dura por 10, agora multiplica por dois. Foi o Ibitipoca Trip Trail, mas, valeu a pena”, disse Marta Almeida (foto) .




Lugar de altimetria ímpar,foram mais de 2.000 metros de ascensão, descidas técnicas, pisos diversos, teve de tudo: terra, barro, areia, areião, pedra, cascalho e água.Foi do jeito de imaginei que seria, duro, sofrido, coração na boca desde a largada, mas nada como um bom treinamento, bike afinada, conhecimento do corpo e seus limites, cabeça fresca e vontade de chegar. Cada quilômetro percorrido, foi uma vitória pessoal”, revelou Viviane Castellões.


Leandro Mesquita, relatou sobre como foram esses dois dias de disputa. “No primeiro dia, Rota do Macaco, 52 km de resistência e superação, prova bruta demais,muitas subidas intensas e técnicas, descidas de alta e técnicas, um mix do que é o verdadeiro Mountain Bike. No final da prova sofri demais com as câimbras, gerando um esgotamento físico e mental, mas consegui chegar. Já no domingo, foram 32 km na Rota do Lobo de muita diversão, muito single track, uphill e downhill técnicos, uma prova que testou a destreza e a habilidades dos atletas.


E como todos os atletas de MTB são “brutos”, a prova que foi puro MTB de raiz já gera ansiedade para 2016. “Valeu demais ter participado do IBTT, foi uma bruta experiência de vida! Obrigado a todos que de alguma forma me ajudam na manutenção e prática do esporte que amo! No próximo, estamos juntos de novo, se Deus quiser”, concluiu Leandro.


Como foi possível perceber, a prova trouxe sofrimento, suor, dores, mas nada compensa mais do que você poder avistar a linha de chegada e concluir essa prova dura, superando todos os seus limites. Por isso o IBTT já está deixando saudades, mas não se preocupem ano que vem tem mais trilhas, novos desafios e novas superações. Nos vemos em 2016!
















Destaque
Posts Recentes