Ciclistas elegem Ibitipoca Trip Trail como um dos circuitos mais "duros" do país

São muitas as palavras que podem definir o Ibitipoca Trip Trail; aventura, adrenalina, emoção, mas se fosse para escolher uma: superação. Ao longo do evento, essa foi a palavra que mais se ouviu e viu na linha de chegada. Ciclistas ultrapassando os seus próprios limites, desgaste físico e superando o cansaço exigido pelo percurso, eleito por muitos, um dos mais difíceis do Brasil.

Porém, se engana quem acha que as rotas que desafiaram até mesmo a elite do mountain bike não é um fator objetivo. Eles gostam disso, afinal, o que torna a modalidade tão prazerosa são justamente esses desafios.

“O lugar ajuda muito, Ibitipoca é um lugar especial. O evento deu uma boa evoluída boa. A organização está de parabéns, os percursos são bons e a maioria da galera satisfeita É uma satisfação está aqui participando com todo mundo”, disse Miguel Giovannini, uma das lendas do MTB e campeão da categoria Máster B.


Ricardo Gomes, campeão do Máster C, também falou sobre as dificuldades do percurso. “Nossa, dois dias de altíssimo nível e desgaste, muito esforço e câimbras, uma atrás da outra. É um dos percursos mais duros que já vi, não é para qualquer um essa prova. A organização está de parabéns, mas isso daqui não é para amador”, comentou Ricardo, ofegante e bem humorado.


A bicampeã do IBTT Roberta Stopa também elogiou as rotas e comentou sobre os atletas amadores, “O evento está de parabéns, isso que o esporte está precisando. Eu sei que precisamos fazer também pensando nos amadores, mas tenho certeza de que eles querem cada vez mais se desafiarem. Então, tem que ser assim mesmo, percursos duros, que exigem bastante desafio. O MTB é assim, quando mais difícil, melhor é.”


O vencedor geral Thiago Aroeira reforçou o time que comentou sobre as dificuldades do trajeto. “Esses dois dias foram muito difíceis, o circuito é bem seletivo. A organização está de parabéns, com certeza vou querer participar dos próximos. Ano que vem eu vou ter essa dificuldade a mais que é defender o título, porque a gente fica mais marcado, mas isso que é legal, quem ganha é o esporte. A gente sofre e se diverte ao mesmo tempo”, finalizou.


"A Região da Serra de Ibitipoca é bem montanhosa e com belas paisagens o que proporciona uma prova dura e desafiadora, mas ao mesmo tempo deslumbrante por conta do cenário natural", comenta Zanini, um dos organizadores.




Uma pesquisa de campo com objetivo de avaliar o evento no geral, foi feita junto aos participantes e os dados serão analisados para o planejamento das proximas edições. Mas,segundo a organização, é unânime a aprovação dos percursos pelos aletas.


Destaque
Posts Recentes